Custos são como unhas, corte com LEAN! Por Marco T. Bertolino

O título deste artigo não é nenhuma novidade, escutei isto de todos os chefes que já tive, temos que produzir mais, vender melhor, produzir com qualidade e reduzir custos sempre!
Por isso, ao longo da vida das empresas elas vão construindo e desenvolvendo metodologias e ferramentas justamente para ajudar nisto, e o Lean System é um nome novo para práticas antigas e quem vem se consagrando.
O Lean System é a expressão geral comumente utilizada para definir o conjunto de conceitos, práticas e ferramentas aprimoradas pela Toyota.

As pessoas no Sistema Toyota de Produção por Marcelo Justa

Um dos pontos mais importantes no TPS é a capacidade dos lideres em manter a cultura anos após anos, criando um ambiente de aprendizado contínuo em toda a organização.
Isto é, não há a possibilidade de cada líder criar a sua própria cultura transformando a empresa em algo superficial onde não há o desenvolvimento real de lealdade nós funcionários.
O líder Toyota vai até o chão de fábrica e realmente procura entender a situação atual do nível operacional.

Knowledge Management: a Strategic Tool by Arun Hariharan

Knowledge Management (KM) must be an enabler to achieve strategic business objectives.
Knowledge Strategy must evolve from Business Strategy and again contribute to achieving business results.
This paper covers key steps in KM and critical success factors.
It shows how to derive business results from KM, how to motivate Knowledge Performance and create a culture of knowledge sharing.
It also suggests measures of KM success that are linked to achievement of real business results.

Soluciones para un negocio familiar por Luciana Paulise

Como dueño de um negocio familiar, seguro te ha costado llegar al nivel de ventas que está hoy en día, y no estás seguro de poder mantenerlo en el futuro.
Las estadísticas no son muy prometedoras, sólo un tercio de los negocios familiares llegan a ser gestionados por la segunda generación, y muchos menos llegan a ser gestionados por la tercera.
En muchos casos, el principal problema es la falta de un plan de sucesión y una estrategia a largo plazo.

Pareto descomplicado por Felipe Setlik

Sabia que grande parte dos efeitos ou das consequências dos acontecimentos da vida tem origem em uma pequena quantidade de causas?
Tente constatar isso no seu cotidiano.
Você certamente perceberá que praticamente 80% das vezes que seu computador ou outro equipamento tem defeito são por conta de uma reduzida coleção de motivos.
Por exemplo, se você for dono de um negócio varejista, vai notar facilmente que mais ou menos 80% de suas vendas são motivadas por em torno de 20% dos itens de seu estoque.
Essa percepção tem a ver com o chamado Princípio de Pareto, conhecido também como Princípio 80/20.
Gostaria de conhecer mais sobre o assunto, a ponto de conseguir usá-lo para melhorar seu negócio?

Diagrama de Árvore: ferramenta para os tempos atuais por Claudemir Oribe

Neste cenário de tarefas “ensanduichadas” há uma ferramenta que acredito que seria mais adequada aos tempos modernos, e que poderia reduzir o tempo na análise e solução de problemas.
Trata-se do Diagrama de Árvore.
O Diagrama de Árvore é uma forma de identificar as causas de um problema (Cause and Effect Tree Diagram).
Serve também para desdobramento em tarefas e ações de um objetivo a ser atingido (Function Tree Diagram) ou para desdobramento de desejos, transformando-os em especificações (Quality Tree Diagram) , exatamente como feito no QFD – Quality Function Deployment.

Melhoria do Atendimento num Hospital por Roberto Rotondaro e Marina Muto

Este artigo descreve a implantação de um Programa de Gestão do Atendimento a Pacientes em um Hospital da rede privada do Município de São Paulo.
O Programa fundamentou-se na integração entre serviços assistenciais e administrativos, através de processos com vistas ao aumento da eficiência e qualidade do atendimento e consequente satisfação do cliente com base nos princípios Lean, justificando sua adaptação ao serviço de saúde.
Teve início em Janeiro de 2006 e compreendeu as áreas das Recepções do Centro Diagnóstico, do Pronto Atendimento, dos Ambulatórios, do Centro de Oncologia, da Internação e do Call Center que são fontes importantes de coleta e transmissão de informações para as áreas assistenciais.