Caso Samsung & Análise de Riscos por Marco T. Bertolino

Entro no avião, fecham-se as portas e a comissária de bordo começa seus comunicados pré voo: fechar bandeja, desinclinar poltrona, apertas cintos, etc…Mas no meio do costumeiro e rotineiro palavreado, uma frase nova chama a atenção “se alguém tiver um celular Samsung Galaxy 7, ele deve ser mantido desligado e não deve ser carregado durante o voo”.
Não é uma suposição, oficialmente 35 casos foram confirmados: explosão do aparelho!
Em solo causou queimaduras de 3° grau, numa aeronave em voo poderia ocasionar uma tragédia.

Aplicando AMFE para Gestión de Oportunidades en la ISO 9001:2015 por Gregório Suarez

Por primera vez dentro de la perspectiva de un Sistema de Gestión de la Calidad aparece el término “oportunidad” y la recomendación de “maximizar el aprovechamiento de las oportunidades que surjan”.
En verdad, a lo largo de la ISO 9001:2015 toda mención a “riesgos” aparece como “riesgos y oportunidades”.De este modo, “oportunidades” deben ser gestionadas como “riesgos” a través del proceso de: Gestión de Riesgo, con terminología y herramientas específicas, y ahí implementando la Mentalidad de Riesgo en su sentido completo: riesgos negativos y positivos.
La propuesta de este artículo es desarrollar y presentar una metodología que sea capaz de satisfacer adecuadamente este requisito de un modo eficaz para la organización.

Técnicas e dicas para Gestão de Riscos por Felipe Setlik

A ISO 9001 sempre defendeu mitigar e evitar riscos. A nova ISO 9001:2015, lançada em setembro desse ano, explicitamente espera que as organizações identifiquem e contemplem riscos que afetam a conformidade de produtos e de serviços, em foco na maior satisfação do cliente.
Quando se fala em gestão de riscos, é preciso ter em mente que o objetivo não é necessariamente eliminá-los — até porque isso pode nem ser possível —, mas sim desenvolver estratégias que permitam sua prevenção e seu combate de maneira assertiva.