Lucratividade ao organizar por Processos por Sérgio Cintra Feijó

“Manda quem pode e obedece quem tem juízo”.
Esse tipo de gestão, também conhecida como “Gestão por Terrorismo”, nada mais é do que um modelo há muito tempo obsoleto.
Nele as empresas que não tinham processos gerenciais claramente definidos (e acreditem tem muitas ainda assim), tinham como base a rotina diária (mesmice), tendo como base a experiência do “Chefe”.

Mapeamento e Gestão de Processos por Marcelo Justa

As mudanças tecnológicas e a inserção das organizações em um ambiente de competição globalizada tornam necessário o reprojeto e a gestão das funções organizacionais, de modo a adequá-las à realidade do mercado, visando aumentar a competitividade e o valor da organização.
Embora ocorram melhorias nos métodos e processos, se o gerenciamento não focar o(s) processo(s) que exerce(m) mais impacto na satisfação dos clientes e dos acionistas, pouca ou nenhuma melhoria se verifica no negócio.
Pouco ou nenhum valor é gerado para a empresa.

Padronizar para Melhorar por Arun Hariharan

Taiichi Ohno, o pai do Sistema de Produção Toyota uma vez disse: “Onde não há padrão, não pode haver Kaizen”.
Uma vez que voce criou uma lista mestra de processos, a próxima etapa é realmente mapear e documentar como acontece cada processo da lista mestre.
Este artigo trata justamente desta atividade: mapeamento de processos de negócio, mas no lugar de uma explicação monótona  vou utilizar a estória de Bolos da Vovó.

Desdobramento de Metas é efetivo? Um investidor deve se preocupar? Por Eduardo Muller Saboia

Por Eduardo Muller Saboia No artigo anterior “Espremam Os Indicadores Até Que Eles Confessem!”, foi abordada a dificuldade de se atribuir metas aos colaboradores de uma organização em contexto frágil, inconstante e turbulento como o que estamos “atravessando” e o quanto o conhecimento é ainda mais decisivo nestes momentos. Mas, depois das metas definidas, como as…

Espremam os indicadores até que confessem! Por Eduardo Muller Saboia

No momento em que mandioca se mistura com o dobro das metas que não existem e a crise político-econômica desnorteia a cadeia produtiva, desafios ainda maiores surgem.

Com os mercados globais tumultuados ao longo das últimas semanas, e principalmente com um Brasil desorientado e rebaixado, líderes e executivos pensam em como responder a uma crise econômica e política dessa magnitude.
Como prever os mercados? Como determinar novas metas?