Dez dicas para implantar Melhoria Contínua em sua empresa por Claudemir Oribe

Todos desejam melhorar, mas poucos estão dispostos a empreender os esforços para isso.
Nos dias de hoje isso parece cada vez mais verdade.As gerações mais novas, que moram nas cidades, nasceram já acostumadas com as facilidades do dia a dia e não tiveram que carregar água, construir os próprios brinquedos ou ter que provar roupa na costureira.Tudo está pronto e a nossa disposição, às vezes, ao alcance dos dedos.
Isso pode minar a capacidade do indivíduo de desenvolver um raciocínio analítico, necessário para buscar soluções aos problemas que parecem ser cada vez mais frequentes.A melhoria contínua precisa ser praticada e, para isso, é necessário que ela seja uma atitude normal do dia a dia, um hábito.

Aprenda a cortar custos com Orçamento Base Zero por Felipe Setlik

Já pensou em reiniciar as atividades de uma empresa desde os primeiros passos?
Rever toda sua estrutura e se perguntar qual o motivo de cada gasto e o quão ele é ou não essencial ao funcionamento do negócio?
Essa é a premissa que serve de pedra fundamental para se cortar custos com Orçamento Base Zero.
“Custos são como unhas. Você tem de cortá-los constantemente.”

¿Mi proceso está bajo control? Por Raúl Sejzer

El Control Estadístico de la Calidad es una poderosa herramienta para analizar cómo está funcionando nuestro proceso.
Si bien se asocia habitualmente su aplicación a procesos de manufactura, puede ser utilizada en infinidad de aplicaciones.
Uno de los grandes pilares de la Gestión de la Calidad Total (TQM) es la conformidad con las especificaciones.
El Control Estadístico de la Calidad o Control Estadístico de los Procesos (SPC, por sus iniciales en inglés) nos permite conocer si el resultado de cualquier proceso que esté bajo análisis cumple con lo especificado o no.
Sin mayor profundidad estadística ni matemática intentaremos dar una noción de su importancia y sus aplicaciones.

Não implante a ISO 9001 nova, com abordagem e conceitos velhos! Por Manoel M. de Souza Araújo

Não há uma receita pronta, um pacote, um software ou uma documentação mais ou menos padrão, para implantar a ISO 9001:2015.
O que as organizações vão precisar fazer, é conhecer métodos e ferramentas, que possam ser aplicadas dependendo de suas características para atender aos requisitos de uma forma prática e voltada para obter resultados.
Cada organização precisará desenvolver seu próprio sistema de gestão, compatível com suas necessidades, produtos, serviços, estrutura etc. e
gerenciados pela Liderança (Direção e Gestores),
com uma dinâmica que possibilite a obtenção dos resultados esperados e melhorias, que acompanhem as mudanças e necessidades do mercado onde atua.

Dicas para ser Lean de verdade por Marcelo Justa

Escrevo artigos e realizo palestras, treinamentos e consultorias sobre os conceitos, ferramentas e os métodos para implementar com sucesso a filosofia Lean.
No entanto, o mais importante nessa jornada é experiência que vivo dia-a-dia dentro de grandes empresas. Durante toda a minha vida profissional, tenho aplicado na prática todas as teorias que estudei.
Portanto, experimento dentro das empresas tudo o que de fato é real ou não nas teorias sobre o Lean Manufacturing.
Nesse contexto, como forma de continuar contribuindo com aqueles que ainda estão nessa jornada ou outros que se já se frustraram, escrevo abaixo algumas orientações e dicas, a fim de simplificar o entendimento do real sentido de ser uma empresa Lean.

Aplicando FMEA para Gestão de Oportunidades na ISO 9001:2015 por Gregório Suarez

Pela primeira vez dentro da perspectiva de um Sistema de Gestão da Qualidade aparece o termo “oportunidade” e a recomendação de “maximizar o aproveitamento das oportunidades que surjam”.
Na verdade, ao longo da ISO 9001:2015 toda menção a “riscos” na verdade aparece como “riscos e oportunidades” como vemos em diversos itens da norma.
Desse modo, “oportunidades” devem ser gerenciadas como “riscos” através do processo de: Gestão do Risco, com terminologia e ferramentas específicas, e aí implementando a Mentalidade de Risco em seu sentido completo: riscos negativos e positivos.

A proposta deste artigo é desenvolver e apresentar uma metodologia capaz de satisfazer adequadamente esse requisito de um modo eficaz para a organização.

DOE Technique by Augusto Sacramento

DOE can be used in different phases of improvement or design projects. In ANALYZE to find a problem’s root cause: Among different X`s which ones have an impact on the Y and how high is the impact? In IMPROVE to find the best settings for different X`s and potentially test ideas.
What’s the influence of potentially important X`s?
How to find the best setup for the important X`s?